Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Setembro mês da Bíblia, Semana da Independência e Grito dos excluídos. Considerações estas abordadas em momentos de luta por direitos e em defesa da vida. 22ª Romaria da Terra e da Àgua e abaixo assinado contra a aprovação das alterações propostas ao Código Florestal Brasileiro. Estas são algumas ações que vem juntamente com o grito alertar a população dos riscos a vida humana e da natureza.

Em Chapecó, estas ações foram lembradas durante o 17º Grito dos Excluídos da Região Pastoral de Chapecó, no dia três de setembro, na Comunidade Santa Bárbara, bairro Passo dos Fortes. A animação iniciou às 14h com cantos que conduziram os participantes em caminhada ao salão paroquial. Já na entrada, como forma de representar a travessia do povo oprimido no Egito, crianças com veste azul e tecidos representaram o mar, cujas águas deram passagem à liberdade do povo, sendo Moisés instrumento da obra de Deus(Êxodo 14, 21-22).

Nessa ânsia pela liberdade do povo, Iraci Lopez de Xaxim abordou o tema “O grito do povo do Êxodo e os gritos do povo de hoje”, apontando caminhos a partir da palavra, analisando e propondo a conscientização dos direitos e deveres do povo. Crianças, jovens e adultos de diferentes faixa etárias receberam a mensagem e expressaram-na em debate aberto a opiniões e a arte com a exposição de faixas e cartazes.

As comunidades que compõe a Região Pastoral de Chapecó foram motivadas a preparar uma atividade relativa ao tema do Grito para apresentar aos participantes do encontro. Entre estas foram apresentadas músicas, (incluindo de própria autoria), teatro, dança e poesia.

Diocese de Chapecó