Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O bispo de Blumenau, dom José Negri, defendeu em artigo publicado na edição de sábado, 20, do Jornal de Santa Catarina, que as relações conjugais e familiares “necessitam de ampla e urgente reflexão por parte dos casais, da Igreja, dos governos e da sociedade”.

– A família se assenta no casamento, que é a união entre um homem e uma mulher -, explicou.

Ele disse que é um equívoco considerar como referência o grau de satisfação pessoal que a relação pode oferecer para determinado o nível de comprometimento entre os cônjuges.

– Como consequência, muitas famílias, formadas a partir de orientações e conceitos falsos, perdem-se pelo caminho e, sem os fundamentos humanos e cristãos, sucumbem -, analisou.

Ele defendeu que referenciais cristãos são fundamentais para que a família permaneça unida e funcione bem.

– Sem discernimento cristão, os casais passam a defender a primazia da sexualidade sem amor, a fecundidade sem sexualidade, ou a sexualidade sem fecundidade – afirmou, antes de completar que o individualismo e o egocentrismo fragmentam as famílias.

Nesse contexto, os filhos tem pouca capacidade de conviver com os semelhantes e de contribuir para a construção de uma sociedade fraterna e solidária.

– Os resultados disso são conhecidos: pessoas frustradas em sua natureza humana e desesperançosas da vida.
Como alternativa, ele recomenda colocar “o ‘nós’” antes do “eu” e ensinar os filhos os verdadeiros valores humanos.

– [Para sermos felizes precisamos] Sentir a segurança que só uma família alicerçada no amor-doação e no compromisso do sacramento do matrimônio [oferece] – avaliou o bispo.