Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Em nota, a Diocese de Chapecó informa que a pseudo-empresa “Seguros e Previdência Privada dos Padres do Brasil (SPPPB)” tenta aplicar golpe em padres ao solicitar dinheiro e dados pessoais.

Os padres são informados por carta que teriam benefícios benefícios a receber, mas antes precisam pagar uma taxa administrativa de 0,38% e de 5% a título de assessoria jurídica, em relação ao suposto valor a ser resgatado.

É importante que não sejam fornecidos dados pessoais e nem depósitos, pois a suposta “Seguradora que está enviando a correspondência não é encontrada e nem há registros de sua existência”, alerta o serviço de contabilidade da Diocese de Chapecó.

Padres de 0utras regiões do país também região do país também receberam correspondências semelhantes.