Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Através de uma carta pastoral divulgada ontem (19), dom José Negri, bispo diocesano de Blumenau, descreve as ações de solidariedade em apoio aos flagelados, o que ele considerar uma “inundação de amor”.

Dom Negri relembra que a Campanha da Fraternidade deste ano discutiu justamente as consequências das mudanças climáticas para despertar a sociedade quanto as ameaças ao planeta, que segundo ele, atingiram a região de Blumenau.

“Famílias são obrigadas a deixar as próprias casas, os próprios lares, para se refugiarem em abrigos, à espera de socorro, de água potável e de comida”, escreveu. Acrescentando que diante disso, existe apenas uma solução, “conscientizar-nos de que somos filhos do mesmo Pai, somos uma só família, e somos Igreja. Inúmeros gestos de solidariedade e de fraternidade por parte de voluntários estão mostrando que, juntamente com a enchente de água veio, também, uma inundação de amor”.

Ele também considerou comoventes os atos de solidariedade prestados, como as doações recebidas de vários lugares e o trabalho de voluntários.

“Ajoelhados diante da Eucaristia, redobraremos as nossas forças para nos ajoelharmos diante dos nossos irmãos que foram atingidos pelas enchentes e que, agora, estão sofrendo as consequências de tudo isso”, continuou, ao citar o Congresso Eucarístico Diocesano a ser realizado na região.

Antes de convidar para uma missa que será realizada dia 02 na catedral, o bispo pediu gestos concretos de amor dos cristãos. “Convido-os, portanto, a procurarem Jesus pobre, flagelado, desabrigado, nas ruas, nos nossos bairros, nas nossas cidades”, disse.