Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Possibilitar formação humana, espiritual, teológica, litúrgica e bíblica são os objetivos da Escola Ministerial Diocesana (Emidi) em Joinville. Ela é oferecida desde 2005 para quem deseja atuar nos ministérios da Igreja Católica. Com duração de 2 anos, já ofereceu subsídios a mais de 500 ministros.

A escola foi ideia de dom Orlando Brandes, então bispo diocesano, que pretendia proporcionar uma formação específica para os ministros.

De acordo com Maria Marlene Rossi, que colabora com a Emidi desde o principio, 26 pessoas concluirão a escola este ano. O número é bastante inferior ao da primeira turma, em que foram formados 259.

– Tivemos uma mudança no dia da realização das aulas em 2010, onde tivemos uma queda de 70% no número de alunos -, explicou.

Padres e leigos ensinam assuntos como doutrina social, teologia, comunicação, oratória e eclesiologia.

– Todo o conteúdo é muito significativo, porque são realizadas aulas práticas e os assessores se preparam muito – analisa a colaboradora.

A metodologia incentiva a interação entre os participantes, que possibilita o diálogo e o compartilhamento de ideias e experiências. Para Marlene, os futuros ministros devem ser bons comunicadores de Cristo, conhecerem e possuírem uma experiência pessoal com Jesus Cristo.

– Penso que quem faz a escola são aqueles que realmente sentem que precisam de catequese permanente, são os que entendem que quanto mais aprendo mais sei que preciso aprender -, avalia Marlene.

A escola é aberta para todas as comarcas pastorais da diocese de Joinville e os encontros ocorrem duas vezes por mês (segundas e quartas-feiras) das 19h30 às 21h30, no Centro Diocesano de Pastoral. A mensalidade é de R$ 5,00, para ajudar no custeio de materiais e assessores.