SANTA ISABEL DA HUNGRIA
Sexta-feira 17/11/23
JUBILEU DE OURO – 1975-2025
TEMA: DIOCESE DE JOAÇABA: TERRA DE VOCAÇÕES
LEMA: NESTA TERRA, SOMOS ‘PEREGRINOS DE ESPERANÇA’ (Mc 4,8).

 

Estamos concluindo mais um Conselho Regional de Pastoral (CRP) – uma experiência de sinodalidade eclesial do nosso Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em Santa Catarina. Como Igreja, vivenciamos, nestes dias, bonitas experiências de fraternidade, comunhão, unidade, partilha, compromisso e missão de testemunhos e evangelização.

Nossas celebrações, temas desenvolvidos, assuntos importantes de reflexão, planejamento, e o novo carisma presente em nosso regional com o Movimento das Mães que Oram pelos Filhos e Missão Ad Gentes.

Na Celebração de Abertura do nosso CRP, a Diocese de Chapecó abordou o tema da Sabedoria, e a liturgia desta semana nos desafia profundamente a refletir sobre esse conceito.

Chegamos ao final da semana e ao final deste CRP com mais sabedoria, porque nos foram indicados caminhos e maneiras que nos fizeram melhores e nos aproximaram de Deus. Pelo menos é o que esperamos e o que mostra a liturgia da Palavra de hoje, tanto na primeira leitura como no Evangelho.

O trecho da primeira leitura de hoje é profundamente teológico e fala diretamente de Deus, chamando nossa atenção para não o confundir com a obra da sua criação. Deus é muito maior do que as coisas por Ele criadas, por mais grandiosas que sejam, como, por exemplo, os mares, a terra, as montanhas, o ar e o firmamento.

Na manhã de ontem, 16/11, o Professor Telmo Pedro Vieira nos trouxe o tema sobre a crise Climática e o novo apelo do Papa Francisco. Precisamos ir além do cuidado da Casa Comum. Qual tem sido nosso verdadeiro envolvimento como agentes de transformação para a superação e prevenção diante da crise climática atual?

Toda a criação deve revelar a grandeza do Criador e nos levar à contemplação do próprio Deus que se revela. Podemos nos inspirar no livro do Gênesis. Sábio é aquele que consegue enxergar na obra da criação provas da existência do seu criador.

“De fato, partindo da grandeza e da beleza das criaturas, pode-se chegar a ver, por analogia, aquele que as criou” (Sb 13,5). Nisto consiste a sabedoria. São Francisco, no Cântico das Criaturas, faz esta experiência mística com sabedoria e profundidade contemplativa.

Nos Salmos, o salmista consegue captar e se inspirar nas obras da criação para louvar o Criador. Sabedoria é ver as coisas e pessoas como passageiras. Só Deus é eterno. É viver como se cada dia fosse o último, diz o evangelho de hoje, por meio de duas comparações extraídas do Antigo Testamento: o Dilúvio, no tempo de Noé, e a Destruição de Sodoma, no tempo de Ló. Ambas as situações mostram a imprevisibilidade da nossa vida.

Creio, irmãos e irmãs, que é hora de mudar comportamentos e atitudes, para vivermos da melhor maneira possível, com sabedoria, sem perder tempo com coisas irrelevantes que nada acrescentam à nossa vida e aos nossos dias.

Diante de tudo o que vimos neste CRP, o que mais nos preocupa e nos atinge é que nos esforcemos e possamos colaborar no hoje e no amanhã da nossa humanidade. Quanto mais humanizados formos, mais semelhantes à imagem de Deus seremos; e com sabedoria cuidaremos melhor da casa comum, onde nos preparamos para o céu.

Deus seja louvado! Paz e Bem!

 

Dom Mário Marquez, OFMCap – Bispo da Diocese de Joaçaba (SC) | Foto: Jaison Alves da Silva