Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Papa Francisco acolheu, nesta quarta-feira, 19 de janeiro, o pedido de renúncia apresentado por dom Zeno Hastenteufel ao governo pastoral da Diocese de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, por motivo de idade, conforme o cânon 401 do Código de Direito Canônico. Foi escolhido pelo Santo Padre como sucessor de dom Zeno o bispo de Tubarão (SC), dom João Francisco Salm, atual presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Histórico

Dom João Francisco Salm nasceu no dia 11 de outubro de 1952, em São Pedro de Alcântara, então município de São José (SC). Filho de Francisco Salm e de Maria Ida Schmitt Salm, tem um irmão e três irmãs. Fez os estudos primários em sua terra natal, completando-os no Pré-Seminário de Antônio Carlos (SC), onde ingressou com a idade de 12 anos, em fevereiro de 1965. De 1967 a 1972 fez os estudos ginasiais e do segundo grau no Seminário Menor Metropolitano Nossa Senhora de Lourdes, em Azambuja, Brusque (SC).

De 1973 a 1975, frequentou a primeira turma do curso superior de Estudos Sociais, em cuja grade curricular constavam todas as disciplinas da Filosofia, na recém-criada Fundação Educacional de Brusque, FEBE, hoje UNIFEBE. De 1975 a 1979, fez o curso de Teologia no Instituto Teológico de Santa Catarina, ITESC, em Florianópolis (SC).

Missão

Foi ordenado diácono em 13 de maio de 1979, em Camboriú (SC), e presbítero em 30 de junho de 1979, no Santuário de Azambuja, Brusque (SC). De janeiro de 1980 ao final de 1983, exerceu o ministério de professor e orientador dos alunos do Seminário Menor Metropolitano, de Azambuja. Em janeiro de 1984, foi nomeado reitor do Santuário Episcopal Nossa Senhora de Azambuja e reitor do Seminário Menor Metropolitano Nossa Senhora de Lourdes, em Azambuja, no município de Brusque. Em março do mesmo ano foi nomeado administrador paroquial da Paróquia de Santa Catarina, em Dom Joaquim, Brusque. De janeiro de 1992 ao final de 2008 exerceu o ministério de reitor do Seminário de Teologia e coordenador arquidiocesano da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Florianópolis.

De junho de 1992 até 1996, foi juiz do Tribunal Eclesiástico Regional de Florianópolis. Durante o ano de 2006 e no segundo semestre de 2008, foi coordenador arquidiocesano de pastoral da Arquidiocese de Florianópolis. Entre janeiro de 2009 e o final de 2011, foi pároco da Paróquia de Santa Teresinha, em Brusque. De março a novembro de 2011, foi administrador arquidiocesano da Arquidiocese de Florianópolis. No período de novembro de 2011 até outubro de 2012, foi ecônomo arquidiocesano e coordenador da Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Florianópolis. Foi membro, por diversos períodos, do Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Florianópolis, como representante dos seminários da Arquidiocese.

Foi nomeado bispo da Diocese de Tubarão (SC), pelo Papa Bento XVI, no dia 26 de setembro de 2012. Em 2015 o Papa Francisco o nomeou Administrador Apostólico da Diocese vacante de Blumenau (SC). De 2016 a 2019, exerceu a função de presidente do Regional Sul 4 da CNBB. Em 2019, na 57ª Assembleia Geral da CNBB, foi eleito Presidente da Comissão Pastoral Episcopal para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada.

A Diocese de Novo Hamburgo

Criada pela Bula Papal “Cum sacer praesul ecclesia” de João Paulo II, em 02 de fevereiro de 1980, a Diocese de Novo Hamburgo situa-se há 45 km da capital Porto Alegre, no centro leste do estado do Rio Grande do Sul.

A Diocese de Novo Hamburgo é a segunda mais populosa das 18 dioceses da Província Eclesiástica de Porto Alegre. Limita com a Arquidiocese de Porto Alegre e com as Dioceses de Caxias do Sul, Montenegro e Osório. A Diocese tem hoje em torno de 1.100.000 habitantes e 48 paróquias.

Bispos Diocesanos

Dom João Francisco Salm será o quinto bispo de Novo Hamburgo. O primeiro bispo foi dom Aloísio Sinésio Bohn, que depois foi transferido para Santa Cruz do Sul (RS), onde ainda vive, com 87 anos de idade. O segundo bispo foi dom Boaventura Kloppenburg, que se tornou emérito em 1994, e veio depois a falecer em 2009. O terceiro bispo foi dom Osvino José Both que, em 2006, foi transferido para ser o Arcebispo Militar do Brasil. O quarto Bispo é dom Zeno Hastenteufel, transferido para Novo Hamburgo em 28 de março de 2007.