A Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está reunida na sede da entidade, em Brasília (DF), desde terça-feira, 25. O primeiro momento do encontro foi entre os bispos membros da Comissão e os assessores. E desde a manhã de ontem, 26, até a tarde de hoje, o grupo recebe peritos que contribuem nas atividades relacionadas às temáticas teológicas e doutrinais.

De acordo com o bispo de Petrópolis (RJ) e presidente da Comissão para a Doutrina da Fé, dom Joel Portella Amado, esta é a segunda reunião presencial no ano, além dos encontros virtuais. Nesta ocasião, são duas finalidades: rever a caminhada desde que a Comissão foi formada, em maio de 2023, e tratar dos trabalhos que estão sob os cuidados do grupo.

Segundo dom Joel, a escolha de envolver os peritos na discussão sobre as tarefas da Comissão foi uma escolha positiva. “O melhor caminho foi envolver também os peritos, e o resultado tem sido muito bom”, avaliou.

 

Concílio de Nicéia

No ano em que a Igreja celebrará os 1700 anos do Concílio Ecumênico de Nicéia , o qual proclamou que “Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem”, várias ações da Igreja em todo o mundo vão recordar essa marca. No Brasil, a Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé prepara uma publicação a respeito.

“O grande projeto no momento é o Concílio de Nicéia, passamos quase um dia analisando um texto produzido por dois peritos e lido, analisado e revisto pelos demais, sobre o Concílio de Nicéia e as implicações pastorais e existenciais do concílio”, explicou dom Joel.

Outra ação preparada pela Comissão é um projeto que visa estabelecer um vínculo com os programas de pós-graduação em Teologia e Ciências da Religião das Universidades Católicas do Brasil.

“Nós vamos ter uma reunião virtual que permitirá conversar com as coordenações desses programas, ver o que estão produzindo, ver por onde passa a Teologia, para estabelecer uma proximidade entre aquilo que a comissão, na sua missão, na sua identidade faz, e aquilo que está sendo estudado, pesquisado e divulgado no âmbito da Teologia”, partilhou.

 

Dom Joel também recordou a função da Comissão para a Doutrina da Fé com os pareceres sobre os textos publicados oficialmente pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e pela editora Edições CNBB, um trabalho silencioso que a difere das outras comissões. Um exemplo de texto analisado deve ser publicado em breve: o texto-base da Campanha da Fraternidade 2025.

 

 

A Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé é presidida por dom Joel Portella Amado. São os outros membros dom Antônio Luiz Catelan Ferreira, auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ); dom Francisco de Sales Alencar Batista, bispo de Mossoró (RN), que não esteve presente na reunião; dom Magnus Henrique Lopes, bispo de Crato (CE); e dom Marcelo Antônio da Silva, bispo auxiliar de Santo Amaro (SP). São os assessores da Comissão os padres Douglas Alves Fontes e Thiago De Moliner Eufrásio, recentemente confirmado pelo Conselho Permanente da CNBB.