Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Rede Cáritas SC realizou na tarde desta quinta-feira, 25 de fevereiro, a ‘11ª Assembleia Geral Ordinária da Cáritas Brasileira Regional Santa Catarina’. Devido ao agravamento da pandemia do Covid-19 em solo catarinense, a reunião aconteceu no formato virtual e contou com a participação de representantes das entidades membro da rede em Santa Catarina e do secretariado regional e nacional da Cáritas Brasileira.

A Assembleia foi iniciada com um momento místico conduzido pelo secretário-executivo da rede, Gelson Nezi. Logo após, o articulador das Pastorais Sociais da Diocese de Caçador, João Claudio Casara, fez uma síntese formativa da Carta Encíclica “Fratelli Tutti” do Papa Francisco, sobre a fraternidade e a amizade social.

Após o momento formativo, os participantes foram conduzidos para um processo de avaliação das Áreas ‘Prioritárias’ (Migração e Refúgio, Economia Popular Solidária e Meio Ambiente e Gestão de Riscos e Emergências) e ‘Estratégicas’ (Comunicação e Sustentabilidades Institucional e Financeira) de atuação da Rede em Santa Catarina. Cada entidade membro teve um espaço para avaliar e apresentar os trabalhos desenvolvidos em cada diocese a partir das áreas de atuação.

Quem também participou da Assembleia foi o bispo de Lages e presidente da Comissão Pastoral para a Ação Sociotransformadora do Regional Sul 4 da CNBB, dom Guilherme Antônio Werlang. De acordo com o bispo, em especial nestes últimos tempos, a Cáritas, enquanto igreja, tem uma grande responsabilidade no que se refere ao emergencial para a sobrevivência e a luta do povo por seus direitos. “É preciso empenharmos e entrarmos nas mobilizações sociais contra a redução das políticas públicas no país que automaticamente desfavorece os mais pobres. Ao mesmo tempo que cresce o abandono do povo, cresce a nossa responsabilidade”, disse o bispo.

Política de Proteção

Representando o secretariado nacional da Cáritas Brasileira, participaram da Assembleia, Wagner Ferreira Cesario e Juscelene Rocha. Juntos, os dois apresentaram a Política Nacional de Proteção, Código de Conduta Ética e Mecanismos de Salvaguarda, instituído pela Cáritas Brasileira para garantir a realização da missão institucional. Do Inter-Regional Sul da Cáritas Brasileira, participou da construção do documento a assessora da Cáritas Diocesana de Criciúma, Neuza Mafra.

O documento tem como referencial as orientações da Cáritas Internationalis, a legislação brasileira sobre o tema, tratados internacionais reconhecidos pelo Brasil que garantem o respeito aos Direitos Humanos, além de cartilhas elaboradas pelo Ministério Público Federal e Ministério Público do Trabalho. A Política de Proteção quer ser um marco orientador para a conduta ética pessoal e coletiva de agentes Cáritas em todo o país. Para acessar o documento da íntegra, clique aqui.

Conselho Regional da Cáritas SC

Durante a Assembleia, também aconteceu de forma virtual a eleição para os novos integrantes do Conselho da Cáritas Brasileira Regional Santa Catarina. A eleição de novos membros acontece a cada dois anos, sendo eleitos dois titulares e dois suplentes. A gestão dos eleitos é de quatro anos com possibilidade de reeleição para um segundo mandato.

Como titulares do Conselho foram reeleitas Maria Aparecida Fonseca, da Cáritas Diocesana de Lages e Fabiana Gonçalves, da Cáritas Diocesana de Rio do Sul. Para suplentes foram eleitos Murilo Medeiros da Silva, da Cáritas Diocesana de Tubarão e padre Valmor Della Giustina, da Cáritas Diocesana de Rio do Sul.

Confira abaixo o vídeo institucional apresentado na abertura do encontro:

Com informações da Cáritas SC.