Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Na defesa da ‘Vida em Primeiro Lugar’, ações da Igreja Católica e dos Movimentos Sociais estão articulando em todo o país atividades para a celebração da 27ª edição do Grito dos Excluídos e Excluídas. Em Santa Catarina, para auxiliar as atividades do Grito por todo o estado, a Comissão Pastoral para a Ação Sociotransformadora da CNBB Sul 4 está disponibilizando de forma digital um arquivo com sete rodas de conversas sobre as temáticas trabalhadas a partir dos eixos do Grito em 2021.

“As rodas de conversas servirão como ferramentas de reflexão, estudo e mobilização para o dia 07 de setembro, o dia do Grito do Excluídos e Excluídas”, disse Carla de Cristiani de Oliveira Guimarães, articuladora das Pastorais Sociais da CNBB Sul 4 e uma das autoras das rodas.

“Convidamos as Pastorais Sociais e todas as organizações eclesiais, os movimentos e comunidades para esse bonito mutirão, onde a vida está em primeiro lugar”, continuou Carla.

As Rodas de Conversas

Seguindo os sete eixos temáticos em que o Gritos dos Excluídos e Excluídas 2021 estão baseados, as rodas de conversas estão divididas em sete encontros:

  • Encontro 1 – Terra/Território, Teto e Trabalho: a esperança está na organização popular
  • Encontro 2 – Juventudes: Protagonismo juvenil e participação popular
  • Encontro 3 – Vacina já para todos/as
  • Encontro 4 – Soberania: princípio democrático
  • Encontro 5 – Militarização: racismo e preconceito
  • Encontro 6 – Mulheres: Equidade e direitos
  • Encontro 7 – Esperançar: “Nós podemos reinventar o mundo”

Para baixar o arquivo completo clique aqui.

O Grito em 2021

Neste ano o Grito quer discutir o tema ‘Vida em Primeiro Lugar’ e lema ‘Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já!’. O Grito dos Excluídos e Excluídas é um processo de reflexão e construção coletiva, que se dá durante todo ano. Privilegia a participação ampla, aberta e plural. Os mais diferentes atores e sujeitos sociais se unem numa causa comum, sem deixar de lado sua especificidade.

Cada região, diocese ou cidade tem a liberdade de criar esses passos de reflexão, de acordo com a realidade local, através de rodas de conversas, formações, debates e manifestações públicas, comumente realizadas no dia 7 de setembro.

Para conhecer outras ações do Grito do Excluídos e Excluídas por todo o país acesse gritodosexcluidos.com.