A COMUNHÃO NA IGREJA EM SANTA CATARINA

Começo dizendo que a palavra “COMUNHÃO” aqui não se refere à Comunhão Eucarística, mas à nossa fraternidade, amizade e unidade entre as 10 dioceses, seus bispos, coordenadores diocesanos de pastoral, ecônomos e, por extensão, espero e desejo, entre nosso povo cristão católico.

É evidente, e não poderia ser diferente, que temos divergências, diferenças, modos próprios de acordo com cada realidade social e eclesial e, até diferenças dentro de cada diocese no modo de ver o mundo, a Igreja e a pastoral. Porém, quando nos reunimos, partilhamos, como entre irmãos, as nossas angústias, nossos desafios, carências, problemas e também nossas alegrias, conquistas, vitórias, projetos, planos de pastoral, esperanças e sonhos.

Sempre lembramos, como reza o salmo, “como é bom e agradável, os irmãos viverem juntos e unidos”. Também temos que ter plena consciência de que COMUNHÃO e UNIDADE não significam obrigar todos a fazer a mesma coisa e do mesmo jeito, mas sentirmo-nos unidos na Evangelização, na luta pela justiça, da solidariedade, da misericórdia, da opção evangélica pelos pobres.

Estes nossos encontros têm muitas horas de reuniões de estudo, reflexão, planejamento comum, mas também horas de oração, lazer, diversão e de muita conversa, diálogo e alegria.

Podemos ser muito diferentes e distintos em nosso modo de ser, mas aqui nos sentimos verdadeiramente IRMÃOS e CORRESPONSÁVEIS, como PASTORES por esta porção do Povo de Deus de nosso Estado e da Igreja que aqui se encontra.

São sempre de 2 a 3 dias de graça e bênção para cada um de nós. Temos muita entreajuda e partilha.

Com Jesus nessa barquinha que é nossa Igreja, mesmo com algumas tempestades, temporais ou adversidades, temos certeza de que a travessia para o outro lado será possível, onde há muito povo esperando o anúncio das boas notícias de Deus.

Por favor, rezem por nós, porque aqui, onde também sempre temos muitos momentos de oração e de missa, onde NÓS REZAMOS POR TODOS VOCÊS, CATARINENSES e por todo o nosso povo de Deus, onde você vive, luta e vive sua fé e participação na IGREJA LOCAL.

Deus abençoe a todos e todas.

 

Dom Guilherme Antonio Werlang, MSF