O 13° Encontro Estadual das Comunidades Eclesiais de Base – CEBs e Grupos de Reflexão/Família (GB/F) que acontece nos dias 22 a 24 de julho de 2022, em Canoinhas/SC, tem com o tema: “CEBs: Igreja em saída na busca pela vida plena para todos e todas!”, e lema: “Vejam! Eu vou criar um novo céu e uma nova terra” (Is 65,17). O tema do encontro é o mesmo do 15º Intereclesial das CEBs, que acontecerá de 18 a 22 de julho de 2023, em Rondonópolis/MT.

No segundo dia (23), Dom Cleocir Bonetti, Bispo da Diocese de Caçador, acolhe a todos os participantes e comenta: “CEBs é a luta do povo em busca da terra prometida. Quero lembrar de todos os mártires do estado, os mártires do Contestado, de homens e mulheres que lutaram em defesa de seu chão, de sua terra. Lembro que este chão é regado de sangue, que lembra os mártires de todos os tempos. ‘Um novo céu e uma terra’ (Is 65,17), o sonho de Isaias deve ser nosso! Neste sentido, queremos fortalecer o nosso profetismo e que o sonho seja concretizado”.

Dom Guilherme Werlang, Bispo da Diocese de Lages, comenta: “O cristianismo já nasceu em Comunidade de Base, nas pequenas Comunidades Eclesiais que se reuniam nas casas das famílias, nas Catacumbas, em pequenas Comunidades formadas pelos discípulos missionários de Jesus Cristo. Portanto, a Igreja Católica, antes de ser Dioceses e Paróquias, por séculos foi Comunidades Eclesiais de Base. Esse é nosso DNA original. Quando católicos, especialmente de linha ‘conservadora’ fundamentalista, imperialista, triunfalista, comprometida com a ‘Casa Grande Opressora’, criticam as CEBs e as chamam de ‘comunistas’ ou outros nomes negativando, ou ideologizando, ou de ‘esquerda’ é por desconhecer como o cristianismo e a Igreja nasceu”.

Sirlei Gasparetto, assessora do encontro, trabalha o Texto Base do 15º Intereclesial das CEBs que assumiu a metodologia latino-americana: VER-JULGAR-AGIR. O VER apresenta a realidade do povo, hoje, o que impede o povo ter vida digna e quais dinâmicas estruturais são responsáveis pelas crises, mostrando os indicadores sociais: “Distribuição de renda e desigualdade social, mundo do trabalho, condições de habitação, violência, crise econômica, política, ambiental e sanitária” (Texto Base, pg. 9-10).

O JULGAR traz “um olhar bíblico-teológico e pastoral iluminando a realidade que nos cerca e apontando ‘HORIZONTES DA ESPERANÇA’. O primeiro horizonte é as ‘CEBs, Eklesia alternativa de novos céus e nova terra’ (Texto Base, pg. 11). O AGIR “exige posturas, atitudes e ações concretas e com indicações que possam ser operacionalizadas, há a indicação de algumas questões e pistas de ação para ‘O agir das Comunidades Eclesiais de Base na criação de um novo céu e uma nova terra’” (Texto Base, pg. 14).

Durante o dia, fez-se memória do 3º ao 8º Encontros Estadual: 3º Encontro: “CEBs, povo unido, semente de uma nova sociedade” (Diocese de Lages, 1983); 4º Encontro: CEBs, Igreja em busca da terra prometida” (Diocese de Tubarão, 1985); 5º Encontro: “Povo de Deus na América Latina a caminho da libertação” (Diocese de Rio do Sul, 1988); 6º Encontro: “Povo de Deus renascendo das culturas oprimidas” (Diocese de Caçador, 1991); 7º Encontro: “CEBs, vida e esperança nas massas” (Arquidiocese de Florianópolis, 1997); 8º Encontro: “CEBs, povo de Deus em dois mil anos de caminhada” (Diocese de Chapecó, 1999).

Um dos destaques no dia foi o trabalho nas Tendas: Bom Pastor, Semeador, Pescador e Galileia. O trabalho foi embasado nos textos bíblicos: Jo 10,11-18, Mt 13,1-9, Lc 5,1-11. Houve partilha do trabalho nas tendas. O ponto alto e encerramento do dia foi a Celebração Eucarística e a confraternização com a comunidade de Canoinhas.

Confira algumas imagens da Celebração Eucarística.

 

Por CNBB Sul 4 - Fotos: Jaison Alves da Silva