Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Seminário de Mobilidade Humana reflete realidade da imigração e propõe ações

Na noite desta quinta-feira, 14, na sede da Cáritas Diocesana, em Criciúma, um grupo formado por cerca de 20 pessoas participou da reunião que definiu os primeiros encaminhamentos do Fórum Permanente de Mobilidade Humana, cuja atenção se volta, de modo especial, à situação dos imigrantes africanos que chegam à região.

Após um momento de avaliação sobre o Fórum das Imigrações do Sul de Santa Catarina, realizado há três semanas, os representantes das entidades conheceram as competências do fórum e definiram, por meio da disposição das entidades representadas, a composição do Colegiado que conduzirá as ações do Fórum Permanente de Mobilidade Humana. Entre os que se colocaram à disposição, estão a Cáritas Diocesana de Criciúma, a Secretaria de Assistência Social de Criciúma, a Coordenadoria da Promoção Igualdade Racial do Município de Criciúma e a Sociedade de Psicologia de Criciúma.

Como participantes do Fórum, também se apresentaram na noite desta quinta-feira profissionais, membros e voluntários da Cruz Vermelha, CRAS de Forquilhinha, Coletivo Chega de Racismo, Anarquistas Contra o Racismo, Casa de Passagem São José, Igreja Anglicana, Renovação Carismática Católica e Instituto Federal de Santa Catarina.

Uma nova reunião foi marcada para o dia 22 de agosto, às 09h, na sede da Cáritas, a fim de organizar o encontro previsto para 04 de setembro, que contará com representantes do Ministério da Justiça e também do Instituto Migrações e Direitos Humanos. O próximo passo também é a formação de grupos de trabalho específicos dedicados a trabalhos que envolvam os imigrantes em ações que promovam economia solidária e igualdade racial, além do acompanhamento de doações, mapeamento e levantamentos de dados e apoio de intérpretes.

Bibiana Pignatel Baesso/Diocese de Criciúma