Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

De 30 de agosto a 1º de setembro, o Regional Sul 4 da CNBB contemplou a última etapa da Escola de Música Ritual Litúrgica. “De sexta-feira à noite a domingo pela manhã, o Centro de Formação de Lages se encheu de música e alegria, com a presença bonita e dinâmica de nossos presbíteros, músicos, instrumentistas, animadores, leigos(as), religiosos(as), seminaristas, maestros e ministros(as) do canto, sedentos e desejosos de aprender novo repertório musical e adquirir novos conhecimentos na formação litúrgica, para servir melhor suas comunidades! Foram esses quatro anos, de 2015 a 2019, uma oportunidade de formação, além de uma expressiva experiência de fé e compromisso com a Divina Liturgia da Igreja. Em duas etapas formativas, desenvolvidas em oito módulos, cantamos a salvação e a ação do Senhor na vida celebrativa da Igreja”, ressalta a coordenação da Comissão Pastoral para a Liturgia.

Esse foi um momento importante na história da Igreja em Santa Catarina, que proporcionou o aprendizado de novos cantos para melhor celebrar a Liturgia, nos diferentes tempos do Ano Litúrgico. Com o empenho e total apoio dos bispos do Regional, a Escola atingiu seu objetivo primeiro, de “capacitar ministros e ministras do canto e da música ritual litúrgica, a fim de que se tornem agentes atuantes e qualificados, capazes de promover encontros de formação nesta área, em suas respectivas dioceses”.

Padre Maxssuél da Rosa Mendonça.

“Vimos, com a alegria, o florescimento das escolas em muitas dioceses de nosso Regional. Nossa gratidão a Dom Onécimo Alberton, Bispo de Rio do Sul, que durante esses anos foi nosso referencial e grande incentivador da escola. Em tempo, acolhemos com carinho Dom Mário Marquez, Bispo de Joaçaba, que assume a missão enquanto Bispo Referencial da Comissão Pastoral para a Liturgia. Na pessoa de nossos bispos, externamos nosso carinho ao Pe. Claudir Meotti, da Diocese de Chapecó, iniciador do projeto, e ao Pe. Maxssuél da Rosa Mendonça, da Diocese de Criciúma, atual coordenador da Comissão Pastoral Para a Liturgia. Juntos organizaram, divulgaram e fizeram acontecer esta Escola tão providencial para a Música Ritual Litúrgica. Às diferentes equipes diocesanas que, com empenho, disponibilidade, criatividade e alegria, organizaram os espaços, as liturgias, a confraternização. Em tudo amando e servindo, percebia-se a presença do Cristo servidor!”

Na última etapa da Escola, foi trabalhada a espiritualidade do músico, em vista do bem servir e celebrar Sagrada Liturgia. A formação litúrgica ficou a cargo de Márcio Antônio de Almeida, mestre e doutor em Música, membro da Equipe de Reflexão de Música Litúrgica da CNBB, professor e regente. O assessor falou sobre a arte de celebrar com todo o corpo através do canto, a partir do Rito da Missa . “Ele levou o grupo a perceber que, na Liturgia, estamos presentes diante de nós mesmos, de Deus, da fé da comunidade”. O assessor também orientou o grupo na oficina de teclado. A oficina de voz foi coordenada e conduzida por Luiz Eduardo Silva, da Arquidiocese de Florianópolis, trazendo a importância do cuidado com a voz e o uso adequado da mesma em vista do bem cantar. Reginaldo Almeida, da Diocese de Joinville, orientou a oficina de instrumento de corda – violão: nela, os integrantes da escola trocaram experiências e desenvolveram habilidades, em vista do conhecer o instrumento para melhor tocar.

“Que o Senhor abençoe o esforço daqueles que buscam celebrar uma Liturgia digna, viva e harmoniosa, com cantos adequados e de acordo com o mistério celebrado, procurando, sempre, de novo, aprender e aplicar um repertório de cantos litúrgicos, dando à comunidade a primazia, fazendo o povo cantar e participar com alegria! A etapa foi concluída com a Celebração Eucarística, no domingo pela manhã, colocando em prática o repertório aprendido e cantando o Senhor, nossa Festa! Que o Divino Músico abençoe a quantos se dedicam ao ministério litúrgico-musical, servindo a comunidade e sustentando com arte a louvação do povo!”

Texto da Comissão Regional de Liturgia.