Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Coube a Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do comitê local da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, presidir a missa que teve a participação de mais de 400 mil peregrinos na praia de Copacabana. “Vamos construir pontes ao invés de paredes e obstáculos”, pediu em sua homilia.

Dom Orani pediu que jovens andem pelo Rio, testemunhem Jesus Cristo e busquem um mundo novo. “Existe uma revolução do amor neste momento”, afirmou ao chamar atenção para o outro, que é um irmão. “Somos chamados a construir um mundo de irmãos”, alertou.

As preces foram feitas Jovens provenientes dos cinco continentes. No final da celebração o cardeal Stanisław Ryłko, presidente do Pontifício Conselho para os leigos discursou. Ele lembrou que depois de 26 anos a JMJ volta a América Latina, um “continente jovem”. Ao declarar aberta a JMJ, o cardeal reafirmou “sejam bem-vindos ao Rio de Janeiro.

“Confiem em Jesus seus projetos futuro e anseios”, recomendou Ryłko.  Ele também sugeriu que os jovens saiam de si mesmos e levem Jesus até as periferias geográficas. A sugestão confere com o que o Papa Francisco pede desde que tomou posse em abril e com o próprio lema da jornada, “Ide e fazei discípulos entre todas as nações! (cf. Mt 28, 19).