Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Além das questões religiosas, o atual momento político fará parte das discussões. O destaque é o papel do cristão leigo na Igreja e na sociedade. (Foto: Marcelo Luiz Zapelini/Agência CNBB Sul 4)

O bispo referencial para as CEBs, dom Giovane Pereira de Melo, e o arcebispo anfitrião do encontro, dom Orlando Brandes, compartilharam, com o episcopado reunido em Aparecida (SP), os encaminhamentos e percepções sobre evento.

Segundo dom Giovane, são esperados para o 14º Intereclesial cerca de 3 mil delegados do Brasil, América Latina e Europa.

Conforme o bispo referencial, para preparar o evento já foram realizadas três reuniões ampliadas. “A primeira em janeiro de 2015, quando pudemos conhecer a realidade do norte paranaense. Na segunda reunião, foi possível escolher o tema e o lema. Neste ano, firmamos o número de delegados e aprofundamos o tema do Intereclesial e as ideias que vão compor o texto-base”, descreveu.

O 14º Intereclesial tem o lema retirado do livro do Êxodo, “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-los”.

Para dom Orlando Brandes, a realização do Intereclesial ajudará a sedimentar a experiência das comunidades no Paraná . “As CEBs podem nos auxiliar na dimensão profética e social, que precisamos muito no Paraná, na dimensão da fé e do Evangelho”, disse.

Dom Orlando enfatizou ainda que “o amor, o profetismo, a dimensão social do Evangelho permanecem nas CEBs”. Lembrou que Londrina tem uma “realidade de agronegócio muito grande” e que é “uma ilha rodeada de soja com muito êxodo rural”. O arcebispo também apontou problemas urbanos e da terra presentes na região.

Ao final da exposição, convidou os bispos para participarem do evento. “Todos somos convidados. Será um grande testemunho de comunidade e amor trinitário. Para mim, as CEBs são reflexão da Santíssima Trindade. Londrina inclina-se a todos os que lá vierem”, disse.