Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Representantes de organizações religiosas e paróquias participaram desta primeira reunião (Foto: Marcelo Luiz Zapelini/Agência CNBB Sul 4 de Notícias)

Criar uma rede de comunicadores e garantir jornadas de formação são duas metas acordadas, em reunião, 18, entre a Arquidiocese de Florianópolis e as pessoas que fazem comunicação nas paróquias, santuários, movimentos e novas comunidades.

Para o arcebispo dom Wilson Tadeu Jönck, “cada um tem experiências próprias na área” e “trabalha com paixão”, com tudo isso, agora “o principal é unir o trabalho”. Ele analisou que a troca de experiências ajuda as pessoas a aprimorarem o trabalho. Também pontuou que os padres devem investir na comunicação, embora, eventualmente, a fonte do dinheiro deva ser encontrada.

— Investimento financeiro sempre assusta, mas temos que chegar a isso. É preciso começar por algum lugar. Nós começamos contratando dois jornalistas, criando a assessoria de comunicação e remodelando o jornal e o site da arquidiocese —, disse dom Jönck à Agência CNBB Sul 4 de Notícias.

O arcebispo também pediu que as paróquias divulguem as notícias da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e do Regional Sul 4, o que, para ele, fortalece a unidade da Igreja no Brasil.

O padre Rivelino Seidler, coordenador arquidiocesano de Pastoral, ponderou que as iniciativas em comunicação devem visar o plano de pastoral da arquidiocese e ter como referência o Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil.

Os participantes apresentaram suas sugestões para aprimorar a comunicação, entre elas valorização dos agentes de comunicação, mais profissionalização e capacitação.

A assessoria incentivou a participação das equipes locais de comunicação para o envio de áudios, vídeos e textos, para serem aproveitados no novo site que terá conteúdos audiovisuais.

Esta foi a primeira reunião deste grupo, que manterá a articulação na construção de coberturas coletivas, troca de conteúdos e novas reuniões.