Nesta quinta-feira, 18 de abril, durante a 61ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso promoveu um Ato Inter-religioso. O momento contou com a participação de nove líderes representando diversas confissões religiosas, tanto cristãs quanto não cristãs.

As várias religiões, juntamente com o episcopado brasileiro, enfatizaram seu compromisso mútuo com a promoção da unidade entre diferentes tradições religiosas e a busca pela paz. A celebração foi aberta à cobertura da imprensa.

Durante a celebração, foram retomados os elementos que ajudaram a impulsionar o diálogo inter-religioso na CNBB: as cinco Campanhas da Fraternidade ecumênicas (2000, 2005, 2010, 2016 e 2021); bispos como dom Claudio Hummes, primeiro assessor da CNBB para o Ecumenismo; dom Paulo Evaristo Arns e dom Aloísio Lorscheider que foram os impulsionadores para abertura das Assembleias Gerais da CNBB à participação de Igrejas Irmãs.

Além disso, recordou-se das Celebrações Ecumênicas e os atos Inter-Religiosos nas Assembleias; os simpósios e encontros de formação ecumênica e inter-religiosa; as Comissões Nacionais de Diálogo Bilaterais; a Casa da Reconciliação, em São Paulo; os Organismos Ecumênicos Nacionais: Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), Coordenadoria Ecumênica de Serviço e Iniciativa Inter-religiosa pelas Florestas Tropicais. Também foi lembrado do ato do reconhecimento mútuo da administração do Sacramento do Batismo entre Igrejas membro do CONIC, em 2007.

O representante da União Nacional das Entidades Islâmicas no Brasil, sheiky Mohamad Al Bukai, em sua fala, salientou: “acreditamos na unidade do nosso criador e na unicidade da família humana”, enfatizando a importância da educação para a cultura do diálogo.

A bispa Magda Guedes, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e Presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, destacou a necessidade de fortalecer a caminhada ecumênica, fundamentada no Evangelho de Jesus Cristo. Ela argumentou que “o ecumenismo não deve ser um apêndice, defendendo que é parte integrante da pastoral e do diálogo inter-religioso”.

O bispo de Ponta de Pedras (PA) e presidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso, dom Teodoro Mendes Tavares reafirmou que o “nos une é muito maior do que nos separa. A Fraternidade nos une em nome de um único Deus.”

O pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), Marcos Ebeling, ao discursar em nome da sua entidade fortalece a cultura do diálogo para poder celebrar na audácia da paz: “Dialogar para superar dúvidas, dialogar para se conhecer melhor. Dialogar e orar são as palavras chaves em concordância com todas as denominações religiosas. Para dialogar conjuntamente é preciso encontrar. Encontrar é o primeiro passo para a fraternidade.” E finaliza que, “somente a comunhão das igrejas pode combater o crescente individualismo, comercialização da fé, meritocracia da fé e o colonialismo da fé.”

O arcebispo de Porto Alegre e presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, ressaltou: “felizes os pés do que anunciam a paz. Não a guerra, não ao ódio e não a divisão. Somos instrumentos de paz e do bem em nossa sociedade.”

Ao término da celebração, dom Teodoro convidou todos os presentes a estenderem as mãos sobre a assembleia, proferindo a bênção de Arão, seguida pelo abraço da Paz.

Fotos: Victória Holsbach | Comunicação da 61ª AG CNBB.

Confissões religiosas presentes no ato:

– Pastor Marcos Ebeling, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil
– Presbítera Eleni Mender, da Igreja Presbiteriana Independente e presidente da Coordenadoria Ecumênica de Serviço
– Bispa Magda Guedes, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e presidente do Conselho Nacional Igrejas Cristãs
– Sheiky MoPhamad Al Bukai – Islã, diretor Assuntos Islâmicos da União Nacional das Entidades Islâmicas no Brasil
– Átila Kus, membro do Centro Islâmico do Brasil
– Raul Meyer, membro do Centro Cultural Judaico
– Izaías Carneiro, membro da Comunidade Coração Novo e articulador do Movimento Somos Um e Encontro Cristãos em busca da Unidade e Santidade
– Carlos Vicente, facilitador no Brasil da Inciativa Inter-religiosa pelas Florestas Tropicais
– Pastor Lucas Graffunder, da Igreja Evangélica Luterana do Brasil

 

Por Jaison Alves da Silva - Ascom da 61ª AG