Contra obesidade infantil, Pastoral da Criança deve expandir equipes de acompanhamento nutricional

A nutricionista Marcia Moscatelli apresenta Guia do Líder 2015 que inclui novo método de avaliação nutricional (Foto: Marcelo Luiz Zapelini/Agência Sul 4)
A nutricionista Marcia Moscatelli apresenta Guia do Líder 2015 que inclui novo método de avaliação nutricional (Foto: Marcelo Luiz Zapelini/Agência Sul 4)
Hoje existem 86 em um projeto-piloto no país. Santa Catarina participa com as dioceses de Chapecó, Joinville e Criciúma

Até 2018, todos os setores (dioceses) da Pastoral da Criança deverão contar com equipes de Acompanhamento Nutricional. O objetivo é intensificar o combate à obesidade infantil, que atinge uma em cada três crianças de 5 a 9 anos, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde.

Segundo a nutricionista da Pastoral da Criança Marcia Moscatelli de Almeida, o novo método, baseado na relação IMC/idade, é mais preciso na determinação do estado nutricional das crianças e oferece orientações para as famílias de maneira preventiva, tanto para a desnutrição quanto para o excesso de peso. “As famílias não estão sabendo lidar com essa situação de obesidade”, alertou.

— A missão da Pastoral da Criança é levar vida plena a todas as crianças. Uma criança obesa tem vida plena? Não tem vida plena —, destacou a nutricionista em um encontro com 95 coordenadoras da Pastoral da Criança SC, PR e RS, em Florianópolis, dia 27.

Depois de capacitadas, equipes formadas por cinco pessoas, cadastrarão as crianças atendidas de acordo com as medidas apuradas através de um aparelho chamado estadiômetro a cada três meses. Os dados são digitados em um programa de computador, que faz o cálculo do IMC e indica uma cartela de avaliação nutricional. O líder, então, orienta a família sobre o que pode ser feito para ajudar na saúde da criança. As cartelas são específicas para cada estado nutricional, desde desnutrição grave até obesidade.

O acompanhamento continua nas visitas domiciliares, em que o líder, com o Guia do Líder em mãos, conversa com a família e fala um pouco mais sobre a alimentação adequada para a idade da criança.

Moscatelli sugeriu que sejam feitas parcerias com as secretarias municipais de saúde, porque a obesidade pode ser causada por problemas de saúde. Com a parceria, as unidades de saúde podem ter acesso aos dados recolhidos ela pastoral da Criança. “Todos ganham”, pontuou.

Em Içara, na Região Sul de Santa Catarina, um trabalho junto a Unidade Básica de Saúde tem dado bons resultados. “Lá, vai que é uma beleza. Os profissionais participam da Celebração da Vida (evento mensal para orientações, celebração e partilha). As mães chegam a fazer fila para pegar orientações de tanto que gostam”, contou coordenadora diocesana da Pastoral da Criança em Criciúma, Irmã Marinês Rech.

Além de Criciúma, o projeto é experimentado em Chapecó e Joinville. De acordo com a coordenadora estadual, Loiri Salete Pessi Miorelli, a iniciativa será expandida aos outros setores a partir deste ano.

O Encontro Regional da Pastoral da Criança iniciou ontem, 25, acontece até quinta-feira. Questões administrativas e financeiras, o novo modelo de acompanhamento nutricional e a preparação para a próxima assembleia nacional estão na pauta, entre outros assuntos.

CALENDÁRIO

SuMoTuWeThFrSa

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

 
 « ‹nov 2020› » 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This