Regional Sul 4 reafirma apoio a atingidos por barragem e a bispo de Lages

Nota da CNBB regional exige que autoridades no "mais imediato possível, atendam a pauta dos atingidos pela UHE Garibaldi e façam justiça à essas famílias"

Em nota, o Regional Sul 4 (Santa Catarina) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) “conclama as autoridades competentes” para que o mais rapidamente possível “atendam a pauta dos atingidos pela UHE de Garibaldi, em Adbon Batista, e façam justiça” para mais de 200 famílias atingidas e que “ainda não foram abrigadas e indenizadas”. O regional também reafirma apoio a dom Irineu Andreassa, bispo de Lages, que está sob “interdito proibitório”.

Leia a íntegra:

NOTA DE APOIO ÀS FAMÍLIAS ATINGIDAS PELA USINA GARIBALDI E A DOM IRINEU ANDREASSA

“Em vez de praticarem a justiça, vocês praticam a injustiça, que causa amargura, e não respeitam os diretos dos outros” (Am 5,7)

Nós, bispos, padres, diáconos, religiosas, leigos e leigas da Igreja Católica em Santa Catarina, representando as dez dioceses do Estado, reunidos em Assembleia em Lages, em 20 e 21 de setembro, vimos manifestar nossa preocupação com a situação das famílias atingidas pela barragem da Usina Hidrelétrica Garibaldi localizada entre os municípios de Adbon Batista e de Cerro Negro, atingindo São José do Cerrito, Campo Belo do Sul e Vargem. São mais de 200 famílias desalojadas e que ainda não foram abrigadas e indenizadas. Atualmente essas famílias estão acampadas na comunidade Nossa Senhora das Graças, em Abdon Batista.

O artigo 5° da Constituição Federal de 1988 estabelece: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”. Estes direitos não estão sendo respeitados pela Empresa Triunfo Rio Canoas Energia e pelo Ministério Público. O clima de desesperança e injustiça gera insegurança para essas famílias, que se sentem e, de fato, estão desamparadas.

A escuta das lideranças populares e a leitura dos fatos levaram a Igreja da Diocese de Lages a conduzir uma ação pastoral em favor desses atingidos. O bispo de Lages, Dom Irineu Andreassa, visitou as famílias e o acampamento, e manifestou-se na imprensa. Por isso, sofreu um “interdito proibitório”, sendo ferido no seu direito de liberdade de expressão e de aproximação às famílias atingidas.

A Igreja Católica em Santa Catarina, ciente de sua missão de cuidar e defender a vida onde estiver ameaçada, a exemplo do mestre Jesus que disse “Eu vim para que todos tenham vida, e vida em abundância” (Jo 10,10), vem reafirmar seu apoio e solidariedade aos atingidos pela barragem e a Dom Irineu.

Clamamos às autoridades competentes, solicitando que, o mais imediato possível, atendam a pauta dos atingidos pela UHE Garibaldi e façam justiça à essas famílias.

Sobre todos invocamos a proteção de Santa Catarina de Alexandria e a bênção de Deus, que é justo e santo.

Lages, 21 de setembro de 2013

Arcebispo de Florianópolis
Presidente do Regional Sul 4
Arcebispo de Florianópolis

Dom Mário Marquez
Bispo de Joaçaba
Vice-presidente

Dom Augustinho Petry
Bispo de Rio do Sul
Secretário

CALENDÁRIO

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2020› » 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This