CIMI Sul lança caderno contra PEC que ameaça terras indígenas

Proposta de emenda transfere para o Congresso Nacional homologação de terras indígenas e quilombolas e reservas ambientais
Cacique Eunice Antunes apresenta caderno que explica riscos da PEC 215 para os povos indígenas (Foto: Marcelo Luiz Zapelini/CNBB Sul 4)

Cacique Eunice Antunes apresenta caderno que explica riscos da PEC 215 para os povos indígenas (Foto: Marcelo Luiz Zapelini/CNBB Sul 4)

O caderno “PEC 215: ameaça aos direitos dos povos indígenas, quilombolas e meio ambiente” foi lançado pelo Conselho Indigenista Missionário Regional Sul na aldeia Morro dos Cavalos na Grande Florianópolis, dia 23 de abril. Objetivo do organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil é debater as implicações desta Proposta de Emenda à Constituição.

O missionário Clovis Brighenti explicou que os parlamentares pretendem “ter o poder de demarcar não só as terras indígenas mas, também, as áreas quilombolas e de conservação, como reservas florestais”.  Para ele, a PEC “é uma das ameaças mais contundentes aos direitos dos povos indígenas”.

Um trecho do caderno diz que “passar a responsabilidade da demarcação das terras aos deputados é o mesmo que dizer que os indígenas não possuem o direito originário”, se aprovada PEC, as homologações dependerão de negociações políticas. Atualmente a competência é do Poder Executivo.

Brighenti afirmou que é necessário pressão para que parlamentares não aprovem a proposta. Para isso, o caderno relaciona os nomes e correios eletrônicos dos deputados federais de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.

A recente a criação de um colegiado composto de dez deputados e de representantes das comunidades indígenas para discutir relacionadas às demarcações, entre elas a PEC 215, é tido como resultado do protesto realizado em Brasília no dia 16. Centenas de índios ocuparam vários espaços da Câmara e, inclusive, o plenário da Casa, durante sessão. A cacique Eunice Antunes contou que, inicialmente, o objetivo não era entrar no Congresso.

— Aconteceu uma coisa muito forte nesse dia. Deus colocou a sua mão naquele momento. Íamos só fazer um ritual na frente [do Congresso], mas de repente a porta se abriu — contou.

Ela acredita que a força dos povos indígenas unidos pode “enterrar a PEC” porque agora “eles [os deputados] terão que pensar bastante [antes de aprová-la]”.

O lançamento do caderno foi acompanhado por lideranças da comunidade, professores e estudantes das universidades federal e estadual de Santa Catarina além de representantes de pastorais sociais da Igreja Católica. Na ocasião, também aconteceu o lançamento do livro “A terra que volta ao verdadeiro dono”, que conta a história das aldeias Guarani ao logo do litoral catarinense.

CALENDÁRIO

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2020› » 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This