Fórum Social do Contestado é um dos compromissos de participantes de seminário do centenário da guerra

Evento foi em Chapecó em agosto à convite do Regional Sul 4

A carta aberta do Seminário Regional dos 100 anos do Contestado foi divulgada ontem (11), depois da revisão do texto ratificado dia 5 de agosto, em Chapecó (SC), por cerca de 50 pessoas representantes de vários movimentos sociais, populares, universidades, pastorais e dioceses católicas de Santa Catarina participantes do evento.

O texto explica que em relação à realidade dos últimos 100 anos de história no Contestado, os representantes “concordaram que o povo da região sofreu por conta da discriminação, exploração, dos saques, do coronelismo, do desprezo cultural, da falta de reconhecimento dos valores e tradições religiosas e tantas outras formas de violências estabelecidas contra os caboclos e as caboclas”. O que, segundo eles, repercute até hoje entre os descendentes.

Como resposta, apontam que é preciso “promover alternativas, iniciativas e processos de economia solidária, valorização da cultura cabocla, socialização da renda, democratização, reforma agrária, defesa dos territórios e apoio  às  lutas  pelos direitos dos  quilombolas,  cafuzos,  indígenas, atingidos por barragens, pequenos agricultores  e agricultoras, das mulheres, etc.”

Para os próximos quatro anos, os participantes do seminário assumiram compromissos em torno da memória, do estudo, da divulgação, da religiosidade, da cultura e da busca de alternativas para o povo do Contestado, que devem envolver também outras pessoas e organizações.

Viabilizar a realização do Fórum Social do Contestado, produzir impressos sobre a memória do Contestado, promover mobilizações populares e romarias, resgatar a luta dos sem terra, atingidos por barragens, pequenos agricultores e das mulheres camponesas, são alguns compromissos assumidos.

Promovido pela CNBB Regional Sul 4, o Seminário teve como objetivo refletir sobre o movimento do Contestado, desde as suas raízes, contexto histórico, consequências e atuais heranças, bem como assumir compromissos e planejar iniciativas em torno da memória, estudos, religiosidade, cultura e da celebração dos 100 anos do Contestado. As análises foram assessoradas pelos doutores padre Gilberto Tomazi, Delmir Valentini (UFFS), Paulo Pinheiro Machado (UFSC).

CALENDÁRIO

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2020› » 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This