Dom Severino aponta necessidade de aproximamção do clero com o povo ao chegar em Caçador

Novo bispo diocesano disse que a alegria de Deus é o povo, e que os padres devem descer do altar para ir até os fiéis

Para dom Severino, o povo é alegria de Deus (Marcelo Luiz Zapelini/Agência Sul 4 de Notícias)

Ir até alguns fiéis para cumprimentá-los durante o ato de posse como bispo em Caçador, ontem (4), foi um dos gestos simbólicos que dom Severino Clasen, usou para demonstrar o que pensa. Segundo disse no início da celebração, o povo é alegria de Deus. Ele desceu do presbitério, ainda mais uma vez, levando consigo os padres que estavam ao seu redor durante a homilia.

– Nossa missão não deve ficar apenas no altar. Mas, deve sempre partir do altar para irmos ao encontro do povo – disse, antes de pedir que o acompanhassem até o corredor.

Esses atos não foram surpresa para os leigos e padres que vieram da diocese de Araçuaí, em Minas Gerais, para despedir-se do bispo que consideram um amigo. A fonoaudióloga Aline Sena Carmona, 36 anos, disse que em seis anos à frente da diocese, ele fez muitas inovações através do seu jeito franciscano, como ela descreveu.

– Dom Severino tem um espírito missionário e empreendedor, que levou uma diferença muito grande a nossa região – disse Aline à Agência Sul 4 de Notícias.

O padre Márcio Martins Rosa, que trabalha em Caçador, avaliou que o gesto de ir com os padres até o meio do povo durante a celebração foi uma forma de demonstrar o objetivo da Igreja diocesana.

– Ele também quis indicar qual a razão da nossa consagração enquanto padres, que é estarmos ligados, estarmos direcionados a todo povo de Deus – disse à reportagem.

Para padre Márcio, os gestos representaram suas primeiras palavras durante a celebração.

– A nossa missão enquanto igreja é evangelizar. É estar próximos do povo. É nos preocupar com a vida digna para todos. Então o gesto de dom Severino é carregado de todo simbolismo, muito rico e muito importante – afirmou o padre.

Padre Gilberto Tomazi, pároco em Pinheiro Preto, disse que dom Severino apontou para uma aproximação da igreja com as pessoas.

– Ele demonstrou um pouco a perspectiva popular de misturar a igreja com o povo, de não ficar uma coisa separada. Ficou interessante o rito de aproximar o clero com o povo da igreja. O ritual sinaliza para uma aproximação maior com a perspectiva da libertação – avaliou.

Marcelo Luiz Zapelini

CALENDÁRIO

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2020› » 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This