Caminhada reúne vocacionados da Diocese de Criciúma

Sobre o trio elétrico, padres e seminaristas animavam os que seguiam a pé. Cantos, orações e reflexões fizeram parte do rito

Caminhada em rodovia encerrou mês vocacional na Diocese de Criciúma (Foto: Divulgação)

Nem garoa, nem chuvisco atrapalharam a manifestação dos fieis advindos de todas as paróquias da Diocese de Criciúma, na manhã deste domingo, 28 de agosto. No dia de oração pelas vocações leigas, padres, religiosos, religiosas, famílias e leigos participaram da 29ª edição da Caminhada Vocacional. A rodovia SC 447 deu lugar aos caminhantes, que partiram por volta das 08h, da rótula do Rio Maina, até o Santuário Diocesano Nossa Senhora de Caravaggio, em Nova Veneza.

Sobre o trio elétrico, padres e seminaristas animavam os que seguiam a pé. Cantos, orações e reflexões fizeram parte do rito, que encerrou o mês vocacional na Igreja Diocesana.

A Santa Missa teve início às 10h, presidida pelo bispo diocesano, dom Jacinto Inacio Flach, e concelebrada por diversos padres, entre vigários, párocos e formadores dos seminários.

– Hoje de manhã, vocês viram que todos nós caminhamos juntos: religiosas e religiosos, bispo, padres, jovens e adultos. Todos caminhamos juntos numa mesma direção? Aonde? Aqui, para o Santuário. Este sinal que hoje vivemos é a grande verdade de nossa vida: Todos estamos a caminho do céu. E que bonito que o bispo não queira ir sozinho para lá, nem os padres, nem as religiosas, mas que todos queremos caminhar para lá. Por isso a Igreja do Senhor tem os ministérios e vocações específicas. Se isso não fosse para estar junto do povo, para juntos chegarmos ao céu, nada serviria, porque não seria serviço -, enfatizou o bispo no início de sua homilia.

– Quando subimos lá no morro, vi que algumas pessoas começaram a ficar um pouco mais para trás, mas no fim todos chegaram aqui. Na vida, nem sempre temos o mesmo ritmo, mesmos dons, mesmas qualidades, mas todos temos que estar a serviço para chegarmos na casa do Céu -, disse dom Jacinto.

Seminaristas religiosos e diocesanos também participaram da Celebração Eucarística. Dois deles, os jovens Gabriel Manarin Dalmolin, da Paróquia São Donato, de Içara, e Gilson da Silva Pereira, da Paróquia Santo Antônio de Pádua, de Sombrio, ambos do 2º ano de Teologia (do Seminário Teológico Bom Pastor, de Florianópolis), receberam o Ministério de Leitura.

– O futuro padre é aquele que anuncia a Palavra que tenta vivê-la e colocá-la em prática -, disse o bispo.

Dom Jacinto falou da grande alegria que tem a Diocese por contar com grande número de vocacionados, e convidou seminaristas e postulantes a subirem até o presbitério. O grande grupo recebeu as palmas do povo presente.

– O Papa disse, “se a Igreja não tem vocações, é sinal de morte”, então nossa Igreja está viva, pois tem muitas vocações e muitas ainda virão. Nossa Igreja está sendo muito abençoada. Por isso, gostaria de pedir a todo o povo que continue a rezar muito por todas estas pessoas que vão consagrar e que já consagraram a sua vida, que tanto lembramos neste mês. Que vocês possam dar um bom testemunho e nunca ter medo da cruz; amem a cruz! É morrendo para nosso orgulho e nossas mesquinharias pessoais, que nascemos para a vida e nos abrimos para o próximo e para o serviço do Senhor.

Ao final da homilia, dom Jacinto apresentou o seminarista do 4º ano de Teologia, Éder Carminatti, da Paróquia São João Batista, de São Bento Baixo (Nova Veneza).

– Estou há 12 anos no seminário. Sou da primeira turma do Seminário de Caravaggio. Chegando ao final do 4º ano de Teologia e nos aproximando da ordenação, dá um pouquinho de medo, porque o desafio e a missão é muito grande, mas o amor à cruz, o amor a Jesus e o seguimento ao nosso Mestre nos impulsiona a dizer a cada dia: Sim, Senhor, aqui estou! Envia-me para a tua messe, para a tua missão.

Após isso, o bispo falou sobre o compromisso da Diocese de assumir o espírito missionário no Regional Sul 4 da CNBB ou em qualquer outra instância da Igreja no Brasil.

Ao final da celebração, o casal coordenador da Pastoral Vocacional, José Luiz e Rosiléia Machado agradeceram o apoio e participação de todos na caminhada.

– A vocação é um dom de Deus que implica numa resposta das pessoas chamadas. É uma graça que Deus dá as pessoas para ajudá-lo a concretizar seu projeto de amor através da vida sacerdotal, religiosa, familiar e leiga. Lembramos que a caminhada serve para nos motivar a continuarmos a pedir ao Senhor da messe pelas vocações em nossas paróquias e em nossas famílias.

 Padre Onécimo Alberton recebe benção de envio

– Uma coisa vocês podem escrever: Quem ama as vocações, quem apóia e reza por elas, ganha a benção especial de Deus. Lembrem sempre disso -, disse dom Jacinto.

Ao falar sobre a preocupação e necessidade da Igreja quanto à formação permanente dos padres, convidou o até então vigário da Paróquia São José, a deixar sua mensagem antes de partir para seus estudos em Roma nesta segunda-feira, 29.

– Eu também passei por isso. É um desafio grande. Mas pela Igreja vale à pena. O povo de Deus, Jesus Cristo merece pessoas que se doam assim, assumam e acolham esse compromisso tão grande. E ele, vai em nome da Diocese. Todos vocês tem o compromisso de rezar por ele -, enfatizou o bispo.

Convidado a levantar-se diante do povo, padre Onécimo disse não se despediria.

– Pelo contrário, vou com vocês no coração, porque faço parte desta Igreja e vocês bem sabem disso. É com todas as experiências vividas como pároco que fui em Cocal do Sul durante nove anos e, depois mais nove anos na formação, junto a muitos seminaristas, hoje sacerdotes que já estão trabalhando nas diversas comunidades de nossa diocese, que vou para esta formação – disse.

Para ele, o sacerdócio é precisa ser cuidado como um casal cuida do seu relacionamento entre si e com os filhos.

– O padre também precisa se cultivar, para que ele possa, dentro da Igreja, sempre fazer do sacerdócio um serviço aos irmãos. É em vista do serviço, da disponibilidade e da missão; por amor a esta Igreja, que vou realizar estes estudos.

Ele informou que a comunidade em dois anos. em junho de 2013, retornará para a trabalhar pela diocese.

– Me coloco à disposição para toda e qualquer necessidade, servindo a Igreja desta Diocese como sacerdote. Um até breve, um até logo e, em italiano, “Ci vediamo a presto” – encerrou despedindo-se em italiano.

Com as mão estendias sobre padre Onécimo, os fieis participaram da benção de envio sobre o sacerdote e sobre todos os religiosos e formadores presentes.

Bibiana Pignatel Baesso

Edição: Marcelo Luiz Zapelini

CALENDÁRIO

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2020› » 

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!

Share This